Obediência estrita à CLT, adequação dos processos internos às normas técnicas recomendadas para certificação “ISO”, conformidade contábil segundo padrões internacionais, sintonia com obrigações fiscais e procedimentos em sinergia com marcos de responsabilidade ambiental. São dezenas as imposições regulatórias com as quais o empreendedor pode se preocupar.

E basta uma pequena falha para que a empresa seja onerada com restrições legais, multas, punições judiciais, além, é claro, com a mácula em sua reputação (algo difícil de ser revertido). Foi para equilibrar todas essas variáveis que surgiu o Compliance.

Compliance é a atividade de assegurar que a empresa está cumprindo à risca todas as imposições dos órgãos de regulamentação, dentro de todos os padrões exigidos de seu segmento. E isso vale para as esferas trabalhista, fiscal, contábil, financeira, ambiental, jurídica, previdenciária, ética, etc.

Os principais benefícios que a área de Compliance pode trazer para a empresa:

  • Ganho de credibilidade por parte de clientes, investidores, fornecedores, etc.;
  • Importante ferramenta para as empresas que buscam mercados externos;
  • Aumento da eficiência e da qualidade dos produtos fabricados ou serviços prestados;
  • Melhora nos níveis de governança corporativa;
  • Oferece prevenção (muitas empresas só pensam em Compliance quando já foram punidas por algum “desvio”, postura custosa ao caixa da organização).

Nós da Sales Vieira & Associados, auxiliamos sua empresa a implantar um sistema de Compliance, para que sua empresa possa se consolidar no mercado no longo prazo com esta função alinhada aos objetivos estratégicos, missão e visão da companhia.

Os principais objetivos, papéis e responsabilidades da função de Compliance na organização são:

  • Analisar meticulosamente os riscos operacionais;
  • Gerenciar os controles internos (o profissional dessa área é uma espécie de “xerife” das normas e procedimentos, em todas as esferas da organização);
  • Desenvolver projetos de melhoria contínua e adequação às normas técnicas;
  • Analisar e prevenir de fraudes (esse profissional tem também papel consultivo; não se trata apenas de cobranças e imposição de mudanças);
  • Monitoramento, junto aos responsáveis pela TI, no que se refere às medidas adotadas na área de segurança da informação;
  • Realização de auditorias periódicas;
  • Gerenciar e rever as políticas de gestão de pessoas, juntamente com os responsáveis pela área de Gestão de Capital Humano.
  • Trabalhar na elaboração de manuais de conduta e desenvolver planos de disseminação do Compliance na cultura organizacional;
  • Fiscalização da conformidade contábil de acordo com as normas internacionais (International Financial Reporting Standards– IFRS);
  • Interpretar leis e adequá-las ao universo da empresa.